Caro leitor,

há tempos escrevo aqui sobre o meu dia, minhas indignações, descobertas, sobre os meus “causos”, e somente hoje me dei conta de você. Como será que está o seu dia? Será que bateríamos um bom papo se nos encontrássemos na gôndola de temperos do supermercado? Será que iríamos falar sobre o tempo no elevador ou trocar um sorrisinho amarelo sem graça? Você ri ou chora comigo? É aquela moça que sempre vai à padaria gourmet nos Jardins às quartas-feiras no meio da tarde, enquanto estou procurando inspiração para os meus textos? Sinto-me tão próxima, compartilho meus pensamentos mais profundos e íntimos, mas ao mesmo tempo não sei quem você é.

Só agora me dei conta do meu egoísmo, do quanto só escrevo sobre mim mesma, sempre na primeira pessoa, a única personagem de um conto confessional. Talvez a palavra egoísmo seja injusta, afinal eu partilho minhas impressões com você, e por mais que tente disfarçar, pequenos pedaços valiosos de mim se diluem e se espalham a cada crônica. Mas ainda assim me veio a pergunta: quem me lê, percebe e acolhe?

Eu me importo com a forma como você me vê, leitor. O que estou querendo lhe dizer é que tenho lidado com nossos sentimentos de forma muito sincera. Então me vejo, assim, sua cúmplice. Ciente de que lê e compreende estas palavras silenciosas que explodem para além de mim, que invadem a página e são acompanhadas por você até o fim de cada frase. Uma sinapse perfeita entre seres desconhecidos.

Conexão que não é física e nem mental, que é coração com coração. Sinto-me em um baile, daqueles bem antigos, e nós rodopiando pelo salão. Que música toca? Não importa, pois sabemos que é a música cujas notas tocam nossa pele. E nós, abraçados, rostos colados, respiração suspensa, olhos fechados e um sorriso verdadeiro, reafirmamos nossa sintonia.

Permita-me mais uma dança. E depois dessa mais outra, pelo tempo que conseguirmos permanecer unidos, pelo tempo que você puder me aceitar como eu sou.

© Crônica coletiva com a participação de Renata Mendes, Luiz Geraldo Benetton, Patrícia Gabborin, Marise Louvison, Denise Faria